Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Conif defende pluralidade de saberes nos Programas de Iniciação Científica do CNPq

Notícias

Conif defende pluralidade de saberes nos Programas de Iniciação Científica do CNPq

publicado: 18/05/2020 14h41 última modificação: 18/05/2020 14h49

O Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Forpog) do Conif, diante do exposto na Chamada CNPq-PIBITI nº 08/2020 (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, 2020-2021), que prioriza alguma áreas do saber, divulga nota em defesa da pluralidade de saberes.

O Conselho destaca a valiosa contribuição dos Programas de Iniciação Científica enquanto política pública que promove a inserção de estudantes da Educação Básica e Ensino Superior à pesquisa, ao estimular o seu protagonismo no estímulo à vocação científica e no incentivo aos novos talentos para a Ciência entre estudantes de ensino médio e superior. E acredita que ao se priorizar áreas específicas em detrimento da contribuição científica, tecnológica, social e humana que os projetos podem trazer para o desenvolvimento do país, coloca-se a pesquisa como instrumento incompleto para a formação humana integral.

Os pró-reitores entendem ainda que o fazer científico não é fruto de ações isoladas de determinadas áreas, mas que ao contrário, a multidisciplinariedade e a transversalidade entre as áreas permitem resultados científicos mais sólidos e consistentes, buscando a consolidação do conhecimento científico e tecnológico interligado às ciências humanas.

“Ações como esta, que tendem a privilegiar o desenvolvimento de determinadas Ciências em detrimento de outras, acabam também por impedir a oportunidade de acesso à formação científica a milhares de estudantes de ensino médio e superior, envolvidos em atividades científicas em áreas, subliminarmente, julgadas como “não prioritárias””, diz a nota. 

Confira a nota completa.